VARIZES E TELANGIECTASIAS: Incômodos que podem ser tratados

Um espaço acolhedor e diferenciado!
21 de julho de 2016
Enxaqueca e seus vários tipos
21 de julho de 2016
Exibir tudo

VARIZES E TELANGIECTASIAS: Incômodos que podem ser tratados

 

De maneira simples, podemos dizer que varizes são veias grossas além do normal, que estão dilatadas e na maioria das vezes são perceptíveis a olho nu ou ao passar os dedos sobre elas. No caso das varizes profundas (internas), elas são detectadas através de exames como, por exemplo, o Ecodoppler Venoso. Já as telangiectasias são pequenos vasinhos, veias fininhas, que incomodam algumas mulheres, mas também preocupam àquelas que têm histórico familiar de problemas relacionados às telangiectasias. Além de esteticamente feias, principalmente nas peles claras, esses vasinhos incomodam por causarem também sensação de peso e cansaço nas pernas devido à "má circulação".

O mais importante é saber como se livrar desse incômodo, seja ele decorrente de herança genética, de distúrbios hormonais, entre outros. Após o exame Ecodoppler a indicação é cirurgia ou tratamento clínico e escleroterapia - sessões com aplicação de medicamento específico no vasinho, secando-o. Se o caso for cirúrgico, o paciente deve fazer exames de sangue e avaliações cardiológica e anestésica para estar apto a este tipo de procedimento, que poderá ser tradicional, laser ou radiofrequência. Durante a cirurgia, pode-se realizar também microcirurgia das colaterais dilatadas (veias de médio e pequeno calibre) com incisões mínimas.

Já os vasinhos, existem várias formas de tratamento, o que depende de cada profissional, podendo ser escleroterapia tradicional (secar os vasinhos), com espuma, micro espuma, laser ou radiofrequência. O tempo de tratamento depende da cada organismo e da quantia de vasinhos do paciente. Mas vale lembrar que vasinhos não tratados, além da estética desagradável, podem causar dores nas pernas, peso, cansaço e inchaço. A dica é cuidar das varizes e telangiectasias no inverno para quando chegar o verão, usar shorts e saias sem receio, já que a recomendação é de que não se tome sol às partes aplicadas.

 
 

Dr. Noedir Antonio Lorencini

Angiologista


Formado em 1974, especializado em angiologia clinica e cirúrgica membro da sociedade
brasileira de angiologia e cirurgia vascular.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *